O hospital

E daí que não escapamos de passar um dia no hospital em função da icterícia do Vítor. Achamos (eu, o Fábio e o pediatra) que a situação seria revertida com banho de luz em casa. No entanto, depois de 17 dias de vida ele continuava amarelinho e o problema já estava se prolongando demais.

Levei o pequeno para fazer o exame de bilirrubina e diante do resultado o médico decidiu internar o Vítor para fazer fototerapia.

Bilirrubina é pigmento amarelo gerado pelas células vermelhas do sangue, a pessoa fica com icterícia quando a formação de bilirrubina é maior do que o fígado consegue metabolizar. Informações do “ABC da Saúde“.

Fomos então para o hospital por volta das 7 e meia da noite. Lá pelas 9 e pouco montaram o equipamento no quarto (incubadora e sistema de luzes). Era hora de tirar a roupinha do Vítor, colocar uma venda nos olhos dele (para proteger da iluminação direta) e acomodá-lo na caminha. Aí começou o terror.

Ele simplesmente ficou desesperado, tanto quanto a mãe dele. Chorava, esperneava, mexia loucamente os braçinhos. Comecei a ficar agoniada e já não gostei daquele negócio. Vi que a noite não seria nada fácil. Eu estava enganada… seria pior do que eu imaginava.

Durante a madrugada a incubadora aqueceu demais, o equipamento foi trocado, o Vítor mamou com dificuldade, meu leite não foi suficiente (acredito que pelo nervosismo o negócio “trancou” um pouco), tentamos dar NAN, ele não aceitou, vomitou tudo, chorou e esperneou mais um pouco. E como se tudo isso não fosse o bastante ainda nos incomodamos com a equipe de enfermagem.

Exatamente! Quando a incubadora foi trocada uma enfermeira monstra colocou o meu filho lá dentro sem antes esperar aquecer. Nem vou falar da grosseria da criatura, isso renderia muitas linhas. Ele ficou inquieto e quando o Fábio tocou a mão dele viu que estava gelada. O pequeno começou a espirrar e tremer o queixo.

Já era cerca de 4 horas da manhã e nós estávamos acabados, com fome, sono, de saco cheio! Olhei para o Fábio e disse: “Chega, vamos para casa”. Peguei o Vítor, tirei a venda e o vesti. Fomos até o posto de enfermagem e falamos que queríamos ir embora.

A enfermeira que estava lá disse que teria que chamar a supervisora de plantão. A responsável foi até o quarto conversar com a gente e nos explicou os riscos de interromper o tratamento. Ela escutou nossas reclamações e prometeu que iria verificar os problemas que aconteceram com a incubadora e a situação com os profissionais que nos atenderam.

Decidimos continuar no hospital com a fototerapia. Eu fui para casa dormir um pouco, pois estava num desgaste físico e emocional sem tamanho. O Fábio ficou com o Vítor e prometeu que qualquer coisa me ligaria.

Cheguei em casa às 5 e meia da manhã e dormi até às 8 e meia. Depois voltei correndo para o hospital para amamentar. Foi a vez do Fábio ir um pouco para casa.

Eu já estava mais calma e acho que consegui passar um pouco da minha tranquilidade para o Vítor. Ele finalmente ficou quietinho na incubadora, dormiu e mamou melhor.

No fim da tarde o pediatra foi ver como o bebê estava. Felizmente ele nos liberou e voltamos para casa. Ficamos no hospital menos de 24 horas e o Vítor melhorou da icterícia.

Foi uma experiência e tanto. Maior dó ver meu filhinho sofrendo daquele jeito. Pior ainda ter que aguentar tudo pelo bem dele. Mas enfim… o que importa agora é que ele tá bem e juntinho da gente em casa, onde é o lugar dele!

Anúncios

13 ideias sobre “O hospital

  1. Mari

    Own querida, que sofrimento! Mãe sofre, mas é p/o bem deles! Profissionais da saúde desumanos é o que mais há até nos melhores hospitais. Meus meninos ficaram quase 1 mês na neo natal qdo nasceram prematuros, foi uma prova de força humana. Depois Leo ficou internado umas 10x e Pedro 1x. Coração calejado!

    Fiquem bem, tente descansar! Vai ficar tudo bem!

    Super beijos!

    Resposta
  2. Paula

    Ai, Nanda!! que sufoco!! posso imaginar a aflição! Tadinhos de vcs 3! Mas que bom que passou mesmo! não esquece que to aqui pra qualquer coisa, hein! hehe, bjosss

    Resposta
  3. Carla

    Nossa, Ananda, que noite dos horrores! Devia ser proibido gente insensível trabalhando na área da saúde, né? Com criança, então, nem se fala!

    Resposta
  4. Luciana

    Nossa, Ananda, q perrengue!!! Eu imagino a tua agonia vendo o Vitor chorar, se eu nem consigo deixar o Uri de brucos pq ele chora, mesmo sendo pro bem dele… hehehe… Mas td ja ta bem e q essa seja a ultima ida de vcs ao hospital!
    Beijos!

    Resposta
  5. Mamãe do Otávio

    Ananda, PARABÉNS pela atitude! eu faria EXATAMENTE igual…
    pegaria minhas coisas e meu filho e iria embora…
    ja não basta estar sofrendo de velo sofrer e essas P%*#@ sererm grossas… que NOJO que dá! Quando o Otávio nasceu e eu não tinha leite uma dessas vadias que se acham técnicas em enfermagem não queria trazer NAN pro meu filho… PENSA NA MINHA RAIVA… e ele desesperado de fome…
    Nossa! so de lembrar… sinto tudo o que tu sentiu…
    ai ai
    mas graças a Deus ja passo…
    e da próxima coloca a boca no trambone meeeeeeesmo!
    bjão

    Resposta
  6. Édina

    Puts!!! que aflição! são constantes as reclamações do atendimento de alguns profissionais, lamentável..ainda mais quando se trata de um ser que não consegue expressar o que tá sentindo..Graças a Deus ele está melhor! Cuidem-se! E qualquer coisa dá um grito!!

    Resposta
  7. Patitando

    Olá Ananda, eu entendo perfeitamente sua situação… Que sufoco! Quando Isabella nasceu ela precisou fazer três dias de fototerapia. Os primeiros dois dias foram terríveis! Ela chorava, sentia frio no começo, queria sair dali… Ai ai, que sofrimento… Mas passa né? Ainda bem que ele está em casa, bem, e a icterícia ficou para trás. Desejo tudo de bom para vocês!

    Ah, obrigada pela visita e pelo comentário lá no blog!
    Pati

    Resposta
  8. Patrícia

    Deveria ser proibido fazer isso com criança, ainda mais com uma de 17 dias! Ainda bem que ele tirou de letra isso! E posta mais fotos de novo, acho que os visitando do blog estão loucos pra ver aquela carinha fofa de novo! Beijão

    Resposta
  9. Leticia

    OI….isso foi no hospital da nossa cidade?para mim não é novidade, sei que tem pessoas maravilhosas que trabalham no hospital, mas também sei de gente muito grossa que trabalha lá.E ainda por cima pensam que as pessoas são bobas….bem que vc fez, colocou a boca no trambone.Infelizmente, as vezes temos que fazer isso na nossa cidade, para aí podermos ser bem atendidos, sendo que isso é a obrigação deles.Mas, tomara que tenha sido a primeira e ultima visita ao hospital, se cuidem ….beijos

    Resposta
  10. Sarah

    Oi Ananda! Nossa, fazia tempo que eu não passava por aqui, quantas novidades! Estou lendo todos os posts para me atualizar.
    Sobre a icterícia, Bento também teve. Como nasceu de 36 semanas, a dele foi mais forte e ficamos quase 3 dias no hospital. Contei aqui: http://maedobento.blogspot.com/2009/05/muitas-coisas.html
    Achei péssimo o tratamento que vcs tiveram no hospital! Mas que bom que foi por pouco tempo e todos já estão em casa. Vítor está lindo!
    beijo
    Sarah
    http://maedobento.blogspot.com/
    Sarah

    Resposta
  11. Pingback: Rápidas super rápidas antes que o bebê chore | projeto de mãe

  12. Pingback: Crescimento | projeto de mãe

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s