Um carro, dois bebês e três horas de viagem

No sábado, fomos para a praia. No total, deveriam ter sido três horas de viagem, mas como era feriado e tinha movimento, acabamos levando quatro. Agora, imaginem o que era a gente com casa, cachorro, papagaio, criançada e a minha irmã, tudo e todos dentro de um carro, por QUA-TRO horas. Imaginaram? Pois bem, garanto que foi pior. Muito pior.

***

O plano era sair às 6h (assim como a ideia era de que a dupla fosse dormindo). Óbvio que não conseguimos. Partimos rumo ao litoral às 6h45min. Vítor e Clara acordados e com os olhos arregalados. “Logo eles dormem”, penso eu.

***

Primeiros 20 minutos de tranquilidade e depois de um pouco de balanço os dois pegam no sono. Chego a pensar que vão dormir por todo trajeto. Engano.

***

Lá pela metade do caminho eles acordam. Vamos de Palavra Cantada para tentar manter a calma. Funciona bem, mas por pouco tempo.

***

Clara começa a ficar impaciente, com fome. Carro praticamente parado na rodovia, em função do movimento. Minha irmã, que está atrás com as crianças, começa a apelar para a mochila dos brinquedos.

***

“Clara, olha aqui a bonequinha”. Vítor quer o mesmo brinquedo. Dá outro para a Clara. Ela chora. Quer peito. Mamãe canta. Aumenta o volume. Família toda dança. Clara chora.

***

Carro anda um pouquinho e peço para parar. Assim, troco com a minha irmã e pulo para trás para amamentar com o carro em movimento. PAUSA. Alguém já tentou isso? Nossa, é uma verdadeira façanha dar o peito sem tirar o bebê da cadeirinha. Haja coluna! Porém, melhor assim do que deixar a segurança de lado. Vamos em frente. DESPAUSA.

***

Clara mama um pouco, mas continua nervosa. Vítor começa a ficar entediado. Os dois choram em sinfonia. Aumenta o som, papai!

***

CD da Palavra Cantada toca pela quarta vez na viagem. Tento mexer os braços freneticamente no espaço de 30 centímetros que sobra pra mim entre uma cadeirinha e outra. “Tibum, tibum, da cabeça ao bumbum, tibum, tibum, da cabeça ao bumbum”.

***

Eu, com meu dom de errar todas as frases de uma música, impressiono com a voz desafinada. Os dois seguem chorando. Tenho vontade de descer e ficar na beira da estrada pedindo carona (claro que apenas para pessoas sem crianças no carro).

***

Depois de tanto caos, Vítor se acalma e Clara tenta dormir. Faltam poucos minutos. Alegria geral da nação. Esboço um sorriso.

***

Quatro horas na estrada e felizmente chegamos. Eu, Fábio, as crianças, minha irmã, o Dexter (nosso cachorro) e meia dúzia de malas. Só faltou um papagaio mesmo.

***

A viagem foi cansativa, no entanto valeu a pena pelos dias que ficamos fora. E tem mais: na volta, eu fui recompensada por dois anjinhos que dormiram a viagem inteira. INTEIRA! Volta de Carnaval sem trânsito e em silêncio. O que mais eu poderia pedir? Consegui até superar a ida turbulenta (e começar a planejar a próxima viagem – afinal, mãe é assim, basta o filho dormir a noite toda que ela já pensa em fabricar mais um).

Anúncios

13 ideias sobre “Um carro, dois bebês e três horas de viagem

  1. Camila Motta

    Adoro esses posts, fico aqui rindo, e imaginando a situação. E sei que tudo isso é real… tenho apenas um mocinho, mas sei como é viajar com crianças. E esse último comentário: ”afinal, mãe é assim, basta o filho dormir a noite toda que ela já pensa em fabricar mais um” é BEM VERDADE, kkkkk…. Beijos Ananda!

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Verdade mesmo! Olha que a Clara já dorme a noite toda hehe! Quem sabe um terceiro? Beijos!

      Resposta
  2. ilana

    Ananda, a gente aqui volta e meia faz viagem de carro, e já estamos super acostumados. Pra ir pra praia é umas 2 horas e meia, sem transito.
    Minha dica que deu super certo com o Raphael qdo ele tinha 2 anos, numa viagem de 7 horas de sp pra Araxá, MG, foi o dvd portátil. Fiquei receosa (e me sentindo mãe de m*) no começo, mas foi um investimento que valeu a pena. A gente usa só no carro, restaurante nunca!, e ele vai tranquilo assistindo desenho.
    Bjo

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Então, antes eu achava desnecessário um DVD portátil, mas agora cheguei a cogitar. Melhor criança quieta e tranquila assistindo um DVD do que chorando e desconcentrando o motorista, não? Beijos!

      Resposta
  3. janaina

    Eu já amamentei o Lorenzo no bebe conforto em uma viagem a Porto Alegre,ele tinha 4 meses e é uma ginástica,fora que parou um caminhão no lado do carro e o caminhoneiro ficou olhando e rindo.E eu passei a viagem toda pedindo pro meu irmão, que não tem filhos,não deixar o ar condicionado tão gelado pra não deixar o bebe resfriado,hehehehe

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Sorte que não tinha muito caminhão na rodovia e não fui flagrada! Além disso, o vidro é mais escuro, o que preservou a cena hehe. Beijos!

      Resposta
  4. Patricia

    Nossas viagens de carro são parecidas, mas menos complicadas, porque por enqto sou mãe de um! Mas já amamentei o filhote na cadeirinha, é mesmo um contorcionismo… rs! Um bjo

    Resposta
  5. Paula

    Eu que já presenciei, pelo visto, metade dessa tragédia posso imaginar. Mas devo acrescentar que eu ADOREI tua cantoria!

    Resposta
  6. Fabiola

    eu sucumbi ao dvd portátil aos 3 anos do Davi… ele não curte muito viagens, nem longas nem curtas… músicas e conversar já não o convenciam… eu enjoo se leio no carro… então, nessa hora, permito o dvd, mesmo que ele nos impeça de conversar por um tempo…

    Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s