Complemento e a bola de neve

Ontem, falei aqui um pouco sobre a falta de incentivo à amamentação. Nos comentários, a De reforçou justamente o ciclo que o complemento cria.

A mãe complementa uma mamada, o bebê não mama tudo que poderia no peito, a produção vai caindo, a mãe precisa complementar mais e assim vai.

Uma coisa importante: leite é produzido por estímulo.

Assim, quanto menos a mãe amamentar, menos leite ela vai ter. Por isso também que não é possível levar em consideração a quantidade de leite que uma mulher ordenha para dizer que ela tem pouco ou muito leite. Afinal, ordenha é uma relação entre mulher e máquina. Já a amamentação envolve inúmeras outras coisas. É relação mãe e bebê, pele a pele, troca de hormônios, olhares, carinho. Tudo isso estimula a produção.

Minha experiência com o Vitor foi muito parecida com o que descrevi no post de ontem. As pessoas encheram a minha cabeça com comentários do tipo “leite fraco”, “ele tem fome”, “complementar uma vez só não faz mal”.

De fato, não faz mal, mas pode prejudicar o aleitamento materno, especialmente nos primeiros meses, quando mão e filho ainda estão se conhecendo e se adaptando.

Com o Vitor, eu comecei com o leite artificial quando ele tinha 3 semanas. Ele chorava muito, não dormia e só queria ficar no peito. Eu estava esgotada e com o mamilo todo machucado. Sentia muita dor na hora de amamentar e não conseguia me entregar.

Sem apoio e informação… o que eu fiz? Mamadeira. E no primeiro gole de complemento começamos a escrever nossa história de desmame precoce, com 4, 5 meses.

E foi assim. Na primeira semana eu complementava uma vez por dia. Na segunda, a quantidade de leite artificial foi aumentando. Na terceira, a mamadeira passou a acompanhar mais mamadas. Uma verdadeira bola de neve que culminou com o fim da amamentação.

O que eu diria para uma mãe que começou a dar complemento para o filho antes dos 6 meses e quer continuar amamentando? Cuidado. Isso pode levar ao desmame. Informe-se sobre ordenha e tente oferecer o leite materno em um copo ou colher, para evitar a confusão de bicos com a mamadeira. É mais difícil? Sim. Dá trabalho? Muito. Mas, quem disse que seria fácil?

Outra coisa: volta ao trabalho não precisa ser sinônimo de fim da amamentação, introdução precoce de outros alimentos nem de mamadeira e leite artificial. A amamentação exclusiva até os 6 meses apresenta uma série de benefícios para a saúde da criança (saiba mais aqui e aqui).

Não sou especialista no assunto, mas acho muito importante compartilhar as minhas experiências para tentar ajudar outras mulheres que encontram dificuldades pelo caminho.

Eu mesma acreditei em mim e consegui virar a minha história com a Clara, tanto que seguimos firme na amamentação. Ela está com quase 9 meses.

Acredite em você!

Anúncios

10 ideias sobre “Complemento e a bola de neve

  1. Renata Nogueira

    Falta informação, sempre falta. Seria bom que as mulheres tomassem consciência da amamentação antes mesmo de engravidar. As pessoas não podem ver um bebê chorando que já é fome. É fome? Pode ser, mas pode ser tantas outras coisas, inclusive e quase sempre só necessidade de colo, carinho, afago. E como tu mesma contou, vira uma bola de neve. Eu nessa fase desesperadora e com os peitos super cheios, comecei a ordenhar e dar pro Pedro antes de dormir na mamadeira, e ele dormia melhor realmente. Acontece que na terceira noite ele não queria mais mamar. Não sei de onde tirei forças pra insistir, foi uma semana de muito choro, até que voltou a mamar normalmente.

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Exatamente! Pode ser outra coisa, como vontade de ficar com a mãe, alguma dorzinha, salto de desenvolvimento, enfim… N possibilidades! Mas não, sempre apontam a fome como o problema! E parabéns pela persistência 🙂 Realmente, reverter a situação não é fácil. Beijos!

      Resposta
  2. Diana Holthausen

    Seria bom que as futuras mãmães tivessem acesso a esse post. Graças a Deus eu fui teimosa o suficiente para não levar os absurdos que escutei e li ao pé da letra e deu tudo certo. Mas se tivesse visto um relato assim, antes do meu filho nascer, seria mais um escuda contra os pitacos equivocados que assombram a gente nos primeiros dias de vida do bebê. Muito bom e esclarecedor!

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Obrigada, Diana! Realmente, acho que precisamos que informações sobre amamentação cheguem em futuras mães, para elas terem referências na hora de viver tudo isso. Beijos!

      Resposta
  3. Mãe do Eduardo

    A total relutancia do meu dudu de 4 meses em aceitar o complemento ao leite materno receitado pelo pediatra devido ao baixo peso me deu forças pra lutar e tentar mais.. Afinal nenhum bebe é igual ao outro, e ele é um bebe saudavel, esperto e danado, chega a ser precoce pra idade dele, sinal de que estar tudo bem! Entao estou me alimentando mais e melhor na tentativa de produzir mais leite.. ( sopa, mingau, sucos de frutas, frutas e muita agua, tomara que de certo.. e peito a livre demanda, como dizem qnto mais o bebe sugar mais o peito vai produzir, estou tentando, quem tiver dicas pra me ajudar estou aceitando!!!

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Que felicidade ler o teu relato! Realmente, acredito que peito em livre demanda seja muito importante para estimular a produção e fazer com que o bebê ganhe peso de forma adequada. Boa sorte para vocês!

      Resposta
  4. Pâmella

    Se mais mulheres se preocupassem com informação de qualidade em vez de ficar preocupadas com o menos mãe daqui e dali a amamentação talvez seria vista com outros olhos, tantos blogs maternos, olha só o tanto de informação boa!
    Amamentei meus dois filhos exclusivo até os 6 meses e até quase um aninho, só parei por conta deles mesmos, foram mamando cada vez menos e a produção foi parando pela falta de estímulo. Não foi fácil no início, requer persistência, força, dói sim, mas tudo valia a pena quando nossos olhos se encontravam.
    Saudades, prolactina chegou a subir agora kkkk…

    Beijos

    Resposta
    1. nandaetges Autor do post

      Bingo! Esse papo de menos mãe me cansa, sabe? Meu objetivo, compartilhando esse assunto, é justamente ajudar pessoas em busca de informação e referência para seguir o seu caminho, seja ele qual for. Sem julgamentos, sem pedras. Beijos!

      Resposta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s