Arquivo da tag: família

love.

Maybe I’m amazed at the way you love me all the time
Maybe I’m afraid of the way I love you
Maybe I’m amazed at the way you pulled me out of time
And hung me on a line
Maybe I’m amazed at the way I really need you

(Maybe I’m amazed – Paul McCartney)

Completa. Porque desde que tu chegou eu me transformei. Eu aprendi a amar. Eu aprendi a ser amor.


E foi assim que comemoramos o dia de hoje. Juntos. Nós e o resultado do nosso amor. A nossa família.

Das coisas que apenas os pais entendem

– A felicidade quando aquele maldito pum/cocô finalmente sai (depois do bebê se contorcer por horas e horas).

– O malabarismo de sair de casa com bolsa, carteira, bebê conforto, criança, chave, máquina fotográfica, filmadora e bolsa do baby.

– O sonho de conseguir ser pontual.

– A importância de ter sempre roupa extra na bolsa do bebê (kit completo).

– As manobras para colocar o pequeno no berço ou carrinho sem acordá-lo.

– A dor de uma vacina naquele bracinho/perninha gorducho(a).

– A tranquilidade de falar sobre vômito, cocô e outros assuntos do gênero durante as refeições.

– A supremacia da frase: “Não se mexe em quem está quieto”.

E o glamour?!

Agora na reta final da gravidez comecei a pensar em tudo que passou. E sabe o que lembrei?! Cadê o glamourrr de estar grávida, gentem??? É, a pele linda, o cabelo maravilhoso, o tal do brilho?

Resolvi então fazer uma listinha dos mitos e das verdades da gravidez. Analisem comigo!

1 – PELE LINDA DURANTE A GRAVIDEZ: MITO

Antes da gravidez eu estava com a pele em dia. Tinha feito tratamento com dermatologista e não podia reclamar do resultado. No entanto, bastou eu engravidar para ficar cheia de espinhas. Oi?! Momento adolescência is back.

2 – GRÁVIDA E COM O CABELO MARAVILHOSO: MITO

No início da gravidez eu estava blond total (nota: sou naturalmente morena). O cabelo estava hidratado e brilhante. Resultado de morar com um hair stylist sucesso total, Danilo Fiorin (nota: eu morava em Londres e dividia casa com outros brasileiros).

Voltei para o Brasil ainda loira, mas foi então que as coisas começaram a mudar. Clima diferente, madeixas sem manutenção diária e bum! Cabelo seco e feio.

Tentei de diversas formas melhorar a situação e continuar loira, porém também não queria ficar pintando o cabelo toda hora em função da gravidez. Acabou que escureci tudo e desisti de ficar brigando com o espelho.

3 – A GRÁVIDA POSSUI UM BRILHO DIFERENTE: MITO

Só se esse brilho estiver na palidez do rosto depois de vomitar 3 vezes na mesma manhã ou na pele oleosa cheia de espinhas.

4 – AS PESSOAS TE OLHAM DIFERENTE: VERDADE

Alguns olham com cara de dó, outros de felicidade, outros de agonia. Não importa como, mas as pessoas percebem uma grávida de uma maneira diferente. Aliás, dificilmente uma barrigudinha passa despercebida.

5 – AS PESSOAS TENDEM A SER MAIS GENTIS COM UMA GRÁVIDA: VERDADE

Principalmente amigos e familiares. Eles passam a oferecer ajuda em pequenas atividades diárias, alcançar objetos, fazer agradinhos. Aproveite!

6 – A GRÁVIDA VIRA UMA MÁQUINA DE GASES: VERDADE

Nem precisa colocar moedinha. É natural e incontrolável. Uma vergonha!

7 – ENCHA-SE DE CREME E AS ESTRIAS VÃO PASSAR LONGE: MITO

Não tem creme que supere a genética. Minha mãe teve e eu fiquei cheia. Inclusive nos mesmos infelizes lugares: barriga e coxas. Um saco, né?!

8 – GRÁVIDA FICA SEM NOÇÃO DE ESPAÇO: VERDADE

Cansei de bater a barriga na parede, nos móveis e nos outros. Perdi totalmente a noção do espaço que o meu corpo ocupa. Além disso, derrubo tudo que toco. Chega a ser mágico. Tenho que cuidar com a louça para não quebrar tudo. Resultado parcial da minha gravidez: 4 copos, 1 prato grande e 1 prato pequeno. Tudo destruído nos últimos meses pelas minhas mãozinhas gordas e desajeitadas.

* Os tópicos foram elaborados de acordo com a minha experiência. Outras gravidinhas podem ter tido observações diferentes.
** A ilustração do post é da designer Paulica Santos. A figura foi retirada daqui ó. Quem quiser aproveitar e conhecer o trabalho dela vale a pena #ficaadica 🙂
*** E vocês? Concordam com a minha lista? Algo para acrescentar?!

Chá do Vítor

Já tinha falado aqui sobre os meus planos para o chá do Vítor. Tinha decidido fazer duas festinhas: uma para a família e outra para as minhas amigas.

Bem… as comemorações foram no fim de semana que passou. Deu tudo certinho, tanto no sábado quanto no domingo. Fui muito mimada por pessoas queridas e o Vítor faturou vários presentinhos lindos! Sem falar no estoque power de fraldas que a mamãe aqui adorou!

E olha que coisa! Semana passada comentei que tinha comprado alguns itens que faltavam e também chupeta e mamadeira, caso seja necessário. Pois vejam só! Chupeta que não vai faltar agora. Além da que eu já tinha em casa, ganhei mais 3!

Só teve uma que não foi muito bem vista pelo papai. Agora ele vai ter que procurar um modelo do São Paulo para continuar tudo igual aqui em casa.

Blogagem coletiva: “Nós, os pais”

Por Fábio

“Amor, estou grávida!”

Esta foi a frase que deu início a minha mudança de papel na vida. A partir de então eu não seria mais filho, eu seria pai. Um pai! Meu Deus, que legal!

Sim, no começo foi só felicidade. Fiquei imaginando uma criança me chamando de pai, correndo pela casa, fazendo bagunça e enchendo a vida de alegria. Isso foi o que pensei no primeiro mês, até porque as mudanças demoram um pouco. No início, a barriga ainda não denúncia toda a revolução que está por vir e a rotina do casal continua a mesma.

Mas conforme o tempo vai passando começa a “cair a ficha”. O primeiro ultrassom define o momento e surge o peso da responsabilidade. Eu nunca convivi com criança pequena, meus irmãos e primos são da minha idade ou mais velhos. Nunca tive bebê na família, nunca cuidei de um, não tenho nenhuma experiência. Além disso, tem a questão financeira. Isso sim foi e ainda é um pesadelo pra mim! Não tenho renda fixa, trabalho com investimentos e tem meses que é muito bom, outras vezes nem tanto. Aí que você começa a ver preço de berço, carrinho, fraldas,… Nossa, quanta coisa!

É então você percebe que realmente um filho exige muito cuidado e planejamento. Acho que ganhei alguns cabelos brancos antes de descobrir isso tudo na prática.

Durante a gravidez o pai é um suporte, precisa ser um poço de paciência. São enjoos, vontades, mudanças de humor,… É preciso estar atento, ficar junto. Às vezes o sentimento é de incapacidade, quando o Nanda começa a reclamar que dói aqui, dói ali. Eu me sinto mal de não poder ajudar, não poder fazer nada para aliviar.

No entanto, é incrível o quanto muda o psicológico de um pai, mesmo quando o bebezinho ainda está na barriga. Tudo que faço penso primeiro no Vítor. Ele é minha motivação, ganhei força extra para me preparar para todas as mudanças que ainda vão acontecer.

Estamos curtindo bastante a gravidez e agora no final dá uma sensação de que tudo passou muito rápido, afinal só falta um mês e meio. Entretanto, estou ansioso para a chegada do Vítor e não vejo a hora de ter o meu filho nos meus braços!

* Fábio Augusto, 30 anos, paulista, desbravando o Rio Grande do Sul, a vida de casado e a paternidade.

** Outros blogs que estão participando da blogagem coletiva:

1+1 são três
A mamãe chegou
Aprendiz de mãe

B de Bel

Beto, Beta, Bia e Leo
Carol e suas baby-bobeiras
Coisa de Mãe
Coisas de Carolina
Coisas de mãe
Conversa pra Mãe Dormir
Diário de uma mãe com mais de 30
Diário de uma mãe polvo!
Diversão em família

Especial é Ser Criança
Eu com os 4
leite e prosa
Lilata e os gatos
Mãe da Rua
Mãe de Duas
Mãe do Bento
Mãemorial
Mamãe 24h
Mamãe do Matheus
Mamãe pela 2ª vez!
Mamãe Tá Ocupada!!!

Mamma Mini
Meus filhos, minha vida!
Minha pequena e eu…
O mundo de Sofia
Para Mariana
Pedaços de mim

Pelos Cotovelos e Cotovelinhos
Projetinho de vida
Quase MÃE, Quase PAI
Super Duper

Tagarelices de uma filha, Pensamentos de uma mãe
Viajando na Maternidade

Vinhos, viagens, uma vida comum… e dois bebês!

What Mommey Needs