Arquivo da tag: mulher

Braços e pernas em forma, mas a barriga…

Semana passada fui na nutricionista. Já estava mais do que na hora de assumir meu corpo atual para conseguir chegar no que desejo.

A questão nem é o peso extra pós-gravidez, pois eu consegui eliminar todos os quilos que ganhei nas duas gestações. O problema mesmo é a gordura que já existia antes e que insiste em me acompanhar.

A consulta foi daquele jeito que as primeiras consultas são: entrevista, conversa sobre hábitos alimentares e a temida hora das medidas e balança.

Confesso que o peso não me apavorou, estava dentro do que imaginava, assim como as medidas.

O que me deixou surpresa foi a avaliação das dobras cutâneas. Acreditam que fui elogiada? É! Braços e pernas super em forma. O motivo? Carregar um moço de 13 e uma moça de 9 quilos no colo para cima e para baixo e subir quatro andares de escada todos os dias, de duas a oito vezes. A vida de mãe tem lá suas vantagens, né?

Infelizmente, em relação a barriga, não posso dizer o mesmo. Ali tá caótico e gelatinoso o negócio. Não vai voltar nunca para o lugar??? Alguém me dá uma esperança?

Blogagem coletiva: As marcas do amor

O Vítor completa 1 mês amanhã e eu ainda não me encontrei depois do nascimento dele. Vivo me desdobrando para conseguir atender bebê, marido, cachorro e tarefas domésticas. Falta tempo para dar conta de tudo e no meio de tanta coisa acabo me deixando de lado.

Sei que estou errada, mas acho que faz parte do processo de adaptação com a nova vida. Penso que é apenas uma fase e que logo tudo entra numa “rotina” (existe rotina na vida de quem tem filho?).

Não reclamo do momento que vivo agora. No entanto, tenho que confessar que às vezes dá vontade de sair correndo e deixar tudo do jeito que está. Quando isso acontece tento dar uma volta, ir na casa da minha mãe, de uma amiga, enfim… apenas me desligar um pouco e me distrair.

É inegável que a maternidade muda tudo na vida de uma mulher. Nem todas as mudanças são fáceis, aceitá-las é um processo que pode demorar um pouco. Contudo, nada que uma risadinha banguela não ajude. É a melhor recompensa depois de um dia longo e difícil.

* Achei que nem ia conseguir escrever para a blogagem coletiva de hoje. O texto ficou curtinho, mas enfim… pelo menos consegui participar! Confere também a postagem da Juu, do blog “Era uma vez nós três“!