Arquivo da tag: tempo

Enquanto as crianças dormem…

Todo dia à tarde faço as crianças dormirem, mas demorou um pouco até eu encontrar um jeito e ajustar a nossa rotina para que os dois deitassem no mesmo horário.

Agora, primeiro, faço a mamadeira do Vítor. Enquanto ele toma, amamento a Clara. Ela logo pega no sono, então posso deitar com o meu menino.

Canto algumas músicas ou conto uma história até ele se acalmar. Depois, fico dando uns tapinhas de leve no seu bumbum.

Durante o tempo em que fico no quarto a minha mente voa. Começo a pensar em tudo que tenho para fazer.

Preciso colocar a roupa na máquina, recolher a louça da mesa. Planejo o lanche da tarde, organizo mentalmente a lista do supermercado. Penso no post que quero escrever e no email do trabalho que ficou sem resposta.

Ao mesmo tempo, o sono vai me seduzindo e a vontade é ficar na cama mesmo. Junto todas as forças possíveis e levanto para, obviamente (rá), fazer tudo que projetei.

Mas adivinhem só. Enquanto as crianças dormem eu vou assistir TV. Ou olhar meus email. Ou simplesmente navegar na internet. Faço qualquer coisa, menos o que precisava fazer. Daí, quando decido mudar o foco e arrumar a bagunça da casa, a dupla acorda. Que azar, né?

#quemnunca

Anúncios

Tempo, tempo, tempo

O blog ficou meio abandonado nos últimos tempos. Falta vontade de escrever, embora não falte o que contar e compartilhar.

Chegamos na reta final da gravidez. Já parei de trabalhar e estou em casa colocando alguns trabalhos do mestrado em dia. As coisinhas da Clara estão prontas. No fim de semana arrumei as malas da maternidade e agora é uma questão de tempo. Tempo para ela decidir o momento certo de nascer. Tempo para ela resolver chegar.

Tempo também para o Vítor se adaptar. Imagino que não vai ser fácil. Ele tem uma personalidade muito forte, é incrivelmente ciumento e teimoso. Continua mordendo e batendo. Eu achei que a situação tinha melhorado, mas voltou a piorar. Em alguns momentos fico totalmente sem chão, sem saber o que fazer e como agir. Óbvio que a culpa aproveita a oportunidade e surge com tudo. Culpa por não estar dando conta do recado. Culpa por saber que daqui uns dias vou ter um recém nascido em casa e que daí o bicho vai pegar.

Volto com notícias. Em breve (ou nem tanto).

A viagem dividida e o tempo que não passa

Quando eu era criança minha mãe dividia a viagem em trechos. Se eu perguntava: “A gente tá quase chegando?”, ela respondia que faltavam tantos pedaços. Cada referência era de um ponto a outro, como da ponte até a polícia, do parque até o trem, e assim por diante.

Acabei adaptando a tal contagem de tempo para diversas situações da minha vida. A segunda gravidez, por exemplo, foi toda dividida em eventos. Primeiro o início do mestrado, depois o aniversário do Vítor,…

Enquanto eu tinha algo por esperar, digamos assim, uma etapa seguinte, a gravidez simplesmente passava junto, sem muita ansiedade. Acontece que minha última referência acabou na metade de maio e não consigo pensar em nada grande para usar de marcação. Resultado? Penso todo dia no parto e no nascimento da Clara.

Coisa de doido? Sim, eu sei. Mas preciso urgente de novos pedaços na minha linha do tempo.

Resumo da 37ª semana

Esqueçam o nível ansiosa controlada. Passado. Já era.

O nível da 37ª semana foi potencialmente ansiosa. Qualquer dorzinha e eu: “Ai, o que será isso?”. Qualquer nuvem que mudava de posição no céu e eu: “Será um sinal?”. Momento #alouca total.

Além disso, agora todo dia eu acordo, passo a mão na barriga e penso: “Ainda grávida”. Sim, ainda pesada, desastrada, imensa.

Minha próxima consulta é terça. De modo geral eu me sinto bem fisicamente. O maior incômodo é a dor na pelve. Ela já tinha diminuído, entretanto voltou com tudo. Para virar na cama durante a noite é um sufoco. Chego a desistir da ideia no meio da manobra.

O baby já não mexe mais tanto. Acho que o espaço está bem reduzido para ele. Eu também não consigo mais comer muito, as porções automaticamente estão menores.

É… tá chegando a hora.

Mas como ela demora. Humpf.