Arquivo da tag: Dexter

Curtas antes da praia

Este fim de semana Vítor vai conhecer a praia. Vai ser uma viagem curtinha, domingo já estaremos de volta. Mas não vejo a hora de ver o primeiro contato dele com a areia e com o mar. Pelo que conheço meu filho vai amar e não querer mais ir embora!

***

Sobre o bebê no chão comecei a desencanar. Tô indo aos poucos, tentando cuidar mais da limpeza da casa para não me sentir tão mal de deixar o Vítor no chão. Confesso que é difícil, principalmente porque o baby cachorro fica em cima do baby gente. É tanto beijinho e tanto amor que tenho que ficar de olho. Então vamos indo, um pouquinho a cada dia, até porque uma hora o Dexter vai acostumar com o Vítor circulando por aí e vai parar de encher o saco dele.

***

Noite passada o sono do Vítor foi um pouco melhor. Ele não acordou tantas vezes, porém não gosto de contar vitória antes do tempo. Em relação aos comentários, penso que a situação aqui em casa não é dente. Talvez pode ser um salto de desenvolvimento.

Vítor está tentando engatinhar e em breve deve começar a sair de fato do lugar. Por enquanto só ensaios. É uma hipótese que o que mexeu com o sono dele foi este marco de desenvolvimento. Vamos aguardar cenas dos próximos capítulos para tentar tirar uma conclusão mais objetiva.

***

E para encerrar uma foto do meu furacão e seu parceiro inseparável, o Dexter.


Bom fim de semana!

Anúncios

Bebê no chão

Vítor ainda estava na barriga quando eu e o Fábio decidimos que queríamos uma família kit completo, com direito a mãe, pai, bebê e cachorro. A gente sabia que daria trabalho, mas era o nosso objetivo.

A primeira providência foi procurar um cachorro que se adaptasse ao nosso estilo de vida (leia-se: em apartamento). Era importante também que fosse um animal dócil e amigável, especialmente com crianças.

Decidimos pela raça Lhasa Apso e não nos arrependemos. O Dexter é extremamente carinhoso com o Vítor, mas ao mesmo tempo não é carente nem exige a nossa atenção o tempo inteiro.

No entanto, o que tem me preocupado é em relação à fase que o Vítor está chegando: o período de engatinhar. O motivo do meu receio nem é em função do contato entre bebê e cachorro, mas sim do estado do chão.

Em primeiro lugar nosso apartamento é todo revestido com piso, o que é frio para deixar o Vítor direto no chão. Não temos tapete, pois pai e filho são extremamente alérgicos. Além disso, o Dexter solta MUITO pelo. Não adianta varrer a casa todos os dias (inclusive mais de uma vez), sempre acumulam umas bolinhas de poeira com pelo + cabelos nos cantos. Um saco!

E daí, o que eu faço? Quero estimular o Vítor a engatinhar e sei que na cama não é a mesma coisa. Porém não consigo desencanar e deixá-lo no chão. Alguma ideia? Como foi na casa de vocês, mães de filho baby e de filho cão?

6 meses

Segunda o Vítor completou 6 meses! Mamãe atrasa, mas não falha… então aqui está o ‘relatório do mês’:

Com 6 meses:

Regulou e desregulou o sono.
– Geralmente dorme no berço.
– Faz menos sonecas (duas ou três por dia).
– Continua com a mão sempre na boca e babando muito.
– Tem paixão por espelhos.
– Estende os braços para vir no colo da gente.
– Adora o banho e briga muito na hora de sair.
– Dormiu fora de casa e sem a mamãe pela primeira vez, foi na casa da vovó Adriana, pois a mamãe e o papai estavam doentes.
– Começou a comer mamão e maçã com frequência.
– Provou pela primeira vez uma papinha Nestlé, sabor uva. Gostou bastante!
– Fica enfeitiçado quando vê Coca-Cola, mas nunca provou (acho que é pela cor vermelha da embalagem, também fica hipnotizado com extintores de incêndio).
– Começou a brincar mais tempo sozinho, pegando seus bichinhos e ursinhos.
– Anda meio revoltadinho, bebê adolescente.
– Saldo médico do mês: virose e catapora.
– Aprendeu a sentar.
– Começou a curtir o Dexter e a interagir com ele.
– Fechou o mês com 8 quilos e 64 cm.

O papai foi trabalhar

Sim, hoje foi nosso primeiro dia sozinhos, sem o papai em casa. Pelo “sozinhos” entende-se: eu, o filho e o filhote (Dexter, nosso cachorrinho Lhasa Apso de 6 meses, o irmãozinho mais velho do Vítor).

O Fábio estava trabalhando em casa desde que a gente voltou de Londres, mas agora trocou de atividade e vai ficar fora o dia inteiro. Ele começou hoje e o negócio foi “Se vira nos 30”.

O dia pra mim começou às 5 da manhã. O Vítor acordou, parece que estava pressentindo que o papai ia sair. Ele mamou e demorou um pouquinho para dormir de novo, pegou no sono por volta das 6 e meia.

Quando ele dormiu já estava na hora do Fábio sair e o Dexter começou a chorar (outro que estava sentindo que o dia só com a mamãe não seria fácil). Fiquei na sala com ele, fiz carinho, brinquei um pouquinho e às 7 consegui deitar na cama para uma soneca até a próxima mamada.

Foi eu deitar na cama que o Dexter começou a chorar de novo. Fiz de conta que não estava ouvindo. Minha tática não funcionou e tive que levantar de novo. Soltei o malinha (ele dorme na sala) e voltei para o quarto.

Consegui cochilar até às 9, hora que o Vítor acordou de novo. Ele mamou, brincou um pouquinho com a mamãe e dormiu. Consegui arrumar a cama, abrir a casa e ajeitar umas coisinhas. Dei uma atenção para o Dexter e fui para casa da minha vó almoçar (ninguém merece cozinhar para uma pessoa só… além disso, convenhamos que uma comidinha da vovó é ouro!).

Voltei para casa e minha tarde se resumiu a PEITO. Sim, o Vítor estava com dorzinha de barriga e passou praticamente a tarde toda mamando. No fim do dia dei banho nele e minha mãe nos buscou para dar uma volta.

Quando cheguei o Fábio já estava em casa e daí foi só alegria! Bebê com saudade, cachorro com saudade, mamãe com saudade também!

Até que o dia passou rápido e o mais importante é que sobrevivemos! Eu estava sofrendo por antecipação imaginando o momento que teria que ficar sozinha com os “meninos” (claro que o almoço na vó ajudou).

Não foi tão complicado como eu achava que seria, entretanto não conseguir fazer NADA de serviço doméstico (RÁ!, a pessoa além de dar banho, amamentar, trocar fralda, dar amor, carinho, fazer dormir e aconchegar o baby também tem que limpar, lavar, passar e cuidar de todo pacote chamado casa).

No entanto eu estava preparada (RÁ! 2). Ontem deixei o Vítor com a minha mãe e aproveitei para ter um domingão do faxinão. Dei uma geral na casa, assim não fico na neura da limpeza essa semana. E seja o que Deus quiser!

Rapidinhas: para não ficar sem registro

* Ontem levamos o Dexter no veterinário e não recebemos boas notícias. Ele está com umas casquinhas e o diagnóstico é sarna. Isso mesmo! Tratamento: banho 3 dias seguidos com sabonete especial e depois folga de 5 dias. Em seguida tudo de novo! Além disso temos que dar um remédio pra ele (um oitavo de comprimido, em função do tamanho do sarnentinho bebê). Mas como se não fosse suficiente ele também tem uma hérnia. Pobrezinho do bicho! Vai ter que operar, porém ainda tem que esperar um pouquinho. Provavelmente vamos tratar primeiro a sarna e depois marcar a cirurgia.

Sorte que vai dar pra cuidar desses probleminhas antes do Vítor nascer. Sobre a gravidez x sarna o veterinário disse que é pra eu ter um pouco de cuidado e evitar contato direto com o Dex (pegar no colo, por exemplo). Assim não devo ter problemas.

* Tive consulta com a nutricionista e no últimos mês engordei apenas 1kg. Agora preciso me cuidar para manter o desempenho até o fim da gravidez. Ela vai montar um cardápio e vou ter que entrar na linha (ai de mim).

* Aproveitei a consulta na Unimed e verifiquei os planos disponíveis para o Vítor. Como meu plano é através da prefeitura (como dependente da minha mãe), vou ter que fazer um pro Fábio e colocar o baby de dependente dele.

Só que tem um porém bem grande na história. Como meu parto vai ser particular (a carência da Unimed para parto é de 10 meses), o bebê também vai entrar no sistema de carência. Explico: se meu parto fosse pelo plano de saúde o Vítor pularia a carência e já faria a primeira consulta com o pediatra e todos os exames iniciais pela Unimed.

É um saco, mas não tem o que fazer. O jeito é escolher o melhor plano pro papai e pro neném e esperar ele nascer. Com a certidão de nascimento o Fábio vai lá e resolve a história.

* Passei no hospital onde o Vítor deve nascer e peguei os preços dos pacotes de parto. Os valores estão dentro do que eu imaginava. Já que estava lá perguntei sobre a possibilidade de marcar uma visita para conhecer a maternidade. Fui informada que o setor está em reforma. Tenho que ligar mês que vem e então agendar o “passeio”.

* Comecei a viajar total nas ideias para o quartinho do Vítor. Aguardem que em breve eu conto um pouquinho mais! 🙂