Arquivo da tag: frio

Utilidade materna

Um post de utilidade materna.

Pelo visto não sou só eu que tenho dúvidas em relação aos pontos descritos aqui. Tanto que resolvi juntar os pitacos de todas as mamães queridas que passaram pelo blog e deixaram a sua contribuição.

Vem comigo!

1 – Briga para sair do banho.

Pelo visto esta questão é praticamente universal (e sem solução). Algumas sugestões para tentar amenizar o drama (é possível que mesmo tentando todas as opções você continue ouvindo um berreiro sem fim e sendo chutada): conversar com a criança, explicar que está na hora de sair do banho, tentar distrair o pequeno polvo, oferecer um brinquedo, cantar.

2 – Bebê sem coberta. Outro problema que parece não ter fim próximo. Mas adorei a sugestão do sleeping bag (inclusive já estou atrás de alguém que traga um lyndo e phyno do exterior pro Vítor). Enquanto não arrumo um, a solução é agasalhar bem o baby e nos dias mais frios ligar aquecedor.

3 – Bebê trancado no berço. Duas alternativas: colocar protetor ou até tirar o berço, como a Débora relata aqui que fez. Eu vou seguir sem protetor e ver se a situação continua. Ainda não tomei nenhuma decisão.

Anúncios

O frio e o bebê em camadas

O inverno mal começou e eu já estou de saco cheio. Na verdade eu até gosto do frio, porém com bebê as coisas mudam. O Vítor nem completou 3 meses e já teve gripe duas vezes. Sem falar na preocupação com a gripe A, já que ele tem menos de 6 meses e não pode fazer a vacina (aliás, eu garanti a minha ontem, a vacina já está em falta em alguns postos de saúde do Rio Grande do Sul).

A verdade é que no Brasil não temos estrutura para enfrentar o frio (nem ao menos nos estados onde o inverno é mais intenso). O que fazer então?!

Bom, aqui em casa temos ar condicionado no nosso quarto e uma estufinha pequena móvel. Isso quebra o maior galho, principalmente na hora do banho.

Se está muitooo frio (o frio de renguear cusco* que a Mariana do Diário de Bordo comentou esses dias) acabo dando o banho do Vítor no nosso quarto. Se a temperatura está mais ou menos dou no quartinho dele mesmo, mas com a estufa ligada.

E na hora de vestir o bebê a mamãe se mostra uma verdadeira ninja. Já deixo tudo separadinho e tento colocar a roupa o mais rápido possível. E dá-lhe roupa! São peças que não acabam mais.

Começo com um pijaminha e com as meias. Depois coloco calça e básica de lã. Por cima a roupinha escolhida e um casaquinho. Para finalizar os acessórios necessários: touca, luva e pantufa.

UFA! No fim o Vítor parece um boneco de neve, pobrezinho… pelo menos não passa frio!

* Segundo o tio Wikipédia a expressão “frio de renguear cusco” significa “frio tão intenso que pode deixar um cachorro mancando”.

Ofurô bebezístico

Eu me rendi! Cansei de olhar e ler sobre o banho de balde e resolvi experimentar com o Vítor.

Tudo começou domingo cedinho. Manhã gelada. Fui trocar a fralda do Vítor (que estava vestido em infinitas camadas) e eis que me deparo com o pijaminha molhado de xixi. Fiquei com pena de tirar toda a roupa e pensei em aproveitar para já dar o banho no pequeno (geralmente deixo o banho para depois do almoço).

Mesmo assim estava achando frio para colocar o baby na banheira. Daí que veio a ideia: vou colocar em prática o banho de balde.

Montei todo um esquema. Liguei o ar no quentinho, levei para o meu quarto um tapetinho de banheiro e coloquei água no balde (um improvisado mesmo, que eu usava para encher a banheira dele). Peguei toalha, roupa limpa e lá fomos nós!

Fui colocando o Vítor devagar e o Fábio me ajudou a ajeitar as perninhas dele no fundo do balde. Fiquei segurando a cabeça no estilo dancinha Fat Family e ele ficou lá no seu ofurô bebezístico!

Se ele gostou? Olha aqui a carinha, acho que responde:


Super recomendo! Vamos repetir, com certeza!

Sobre o dia das mães e outras coisas mais

Delícia meu primeiro dia das mães. Passei o tempo todo grudada no pequeno. Almoçamos com minha mãe e minha avó materna. De tarde fomos na casa da minha avó paterna.

***

Eu poderia escrever vários clichês pela data. Entre eles que ser mãe mudou a minha vida, que meu filho é a coisa mais preciosa do mundo, o quanto sou apaixonada por ele. Sim, é tudo verdade. No entanto vou me limitar a usar outra frase pronta: uma imagem vale mais do que mil palavras. Pra mim essa foto diz tudo hoje.


***

Ainda sobre o dia das mães…

Eu e o Vítor participamos de uma reportagem do jornal da nossa cidade, a Folha do Mate. A matéria abordava os blogs sobre maternidade, as mamães blogueiras. Amanhã coloco aqui para vocês lerem.

***

Por falar em mamães blogueiras… parabéns para nós! Espero que todas tenham curtido o dia com seus maiores presentes: seus filhotes! (Clichês mode ON hoje!).

***

O frio já chegou no Rio Grande do Sul e o resultado foi que o Vítor ficou gripadinho. Nariz escorrendo, respiração pesada e um pouco de tosse. Liguei para o pediatra e ele receitou dois remedinhos. Comecei a dar ontem e o baby já está bem melhor. Acredito que em dois ou três dias ele esteja 100%.

***

Se tem algo que me deixa furiosa é as pessoas falarem que o Vítor dorme demais, mama pouco, que eu deveria acordá-lo para mamar e diversas outras coisas do gênero. Não tem necessidade, ok?! Segundo o pediatra ele está crescendo e se desenvolvimento bem. Além disso, do meu filho cuido eu. #prontofalei

***

Ah, quase esqueci! Hoje o Vítor completou 4 semanas de vida! Parabéns para o meu bebê! 🙂

Operação bebê no berço: tentativa nº 1

Berço? Só se for de tarde, na hora do cochilo!

Eu sei que o Vítor está apenas com 3 semanas. No entanto, sempre pensei em colocar logo ele para dormir no quartinho dele, no berço. O Fábio concorda, minha mãe incentiva, enfim… a família toda acha lindo: papai e mamãe em um quarto e o bebê no seu cantinho desde pititico.

Na teoria: ótimo. Na prática… difícil. Desde que nasceu ele dorme do lado da nossa cama, no carrinho. Fico tranquila pois qualquer gemido eu já posso pegá-lo (tá, geralmente eu tô com tanto sono que espero ele chorar pra levantar, às vezes é só um “alarme falso”, mas abafa o caso).

Porém o carrinho não parece mais muito confortável. O frio já chegou no Rio Grande do Sul e enrolo o baby todinho. É tanta mantinha e cobertinha que o espaço fica limitado. Acredito que no berço ele estaria melhor.

E ontem foi a tentativa 1 de só Deus sabe quantas de colocar o Vítor para dormir no quarto dele.

Tudo começou por volta das 8 da noite. Ritual básico: banho, leitinho e bebê dormindo gostoso e quentinho no colo da mamãe. Esperei o pequeno pegar bem no sono e o coloquei no berço por volta das 10. Ele dormiu até 11 e pouco e o peguei para amamentar de novo. Então, meia noite lá fui eu tentar colocar ele na caminha. NADA FEITO.

Eu acomodava o Vítor no berço, esperava 5 segundos e ele chorava. Assim foi umas 5 vezes. Depois tentei dar mais leite (o peito é a solução de quase todos os problemas). E lá fomos nós para o quarto dele. Choro de novo!

Até que o Fábio disse para eu levá-lo para o carrinho mesmo. Eu nem pensei em insistir no contrário. Afinal, assim ele fica pelo menos mais uns dias do meu ladinho. Pelo menos até a próxima tentativa.

Casulo

Hoje entrei no meu casulo. Quero ficar assim, quietinha no meu canto. Curtir cada minutinho antes do Vítor nascer. Aproveitar a chegada do frio, o silêncio da casa, o mimo do maridinho.

Noite passada não conseguia dormir. Pensamentos voando…

De manhã eu tinha consulta, logo cedo. Eu e o bebê estamos bem! Ele encaixado, mexendo regularmente, com o coraçãozinho no maior tum-tum-tum potência máxima. Eu com o peso controlado, pressão ok, dilatação de 4cm e colo do útero afinando.

Segundo a médica o parto está próximo. Ela me deu uma listinha destacando quando é o momento de ir para o hospital (se a bolsa romper, se eu sentir contrações regulares, enfim… basicamente as mesmas orientações do site da Crescer).

Por incrível que pareça a consulta me deixo mais calma. Deixei a contagem regressiva de lado e acabei me concentrando em mim e no meu corpo. Eu sinto (agora mais do que nunca) que tá chegando a hora. Eu sei que tá quase aí. Isso dá um medinho, mas por outro lado uma sensação gostosa de transição. Transição entre eu mulher, eu mãe. Entre tudo que eu sempre quis e que agora se realiza.

Agora, com licença. Vou ali no meu casulo, mas prometo que volto logo!

* Quando o Vítor nascer alguém (o Fábio) vem aqui rapidinho dar a notícia. Don’t worry 😉

Resumo da 28ª semana

Ou resumo da 30ª semana. Entenda AQUI!

E lá vamos nós para a 29ª semana de gravidez!

A 28ª foi marcada pelo calor. A temperatura elevada me tortura! Fico ainda mais desconfortável e não consigo me concentrar em nada. Na segunda-feira inventei de arrumar minhas fotografias desde a infância (separar em categorias, colocar em álbuns e etiquetar). Sim, fiz tudo isso com mais de mil fotos. Para aguentar eu me esparramei no piso e coloquei o ventilador direto em mim.

De noite eu quase mato o Fábio de frio. Ligo o Split em 17 graus, mas quando ele entra no quarto mudo para 23. Assim conseguimos dormir: eu sem nem usar lençol para me cobrir e ele com edredon até a cabeça.

Apesar do calor e da dor na lombar (já comentada AQUI) eu me sinto bem. Estou dormindo melhor e não tive insônia, pelo menos nos últimos dias.

Vamos esperar agora para ver o que nos aguarda na 29ª semana 😉