Arquivo da tag: pediatra

Vítor cremoso

E daí que meu bebê virou um pequeno ser cremoso. Sim, pasta d’água nele! E muito banho de camomila para aliviar o desconforto!

* Obrigada pelas dicas e pelo carinho, meninas! Vítor está bem, não teve quase nada de febre e poucas bolinhas. Fomos no pediatra e ele pediu para que o baby fique de 7 a 10 dias afastado da escolinha. Segunda vamos voltar no médico e fazer uma reavaliação. Enquanto isso eu, o Fábio e minha avó estamos revezando para cuidar do pequeno.
** Queria responder os comentário (estava tentando responder sempre no post mesmo), mas não consigo dar conta! Shame on me!

Anúncios

Sucos, papinhas e dúvidas

Terça levei o Vítor no pediatra para a consulta de 4 meses. Peso OK. Crescimento OK. Desenvolvimento OK. Daí que o médico olha pra mim e diz: “Agora ele já pode começar a comer frutinhas e tomar suquinhos. Daqui 15 dias pode dar caldinho de feijão”. WHAT???

Sim, fiquei assustada. Eu já imaginava que ele iria liberar logo suco e papinha doce (o feijão nem imaginava que seria agora), porém penso que é muito cedo, não sinto que ele está pronto (a mãe dele pelo menos não está!).

Procurei na internet e li alguns artigos sobre a hora de introduzir alimentos. Confesso que não foi o suficiente para me convencer de que já devo começar. Inclusive achei interessante o que vi sobre esperar o bebê conseguir sentar bem para então oferecer as primeiras papinhas. Acredito que seja mais ou menos por aí (Vítor já senta, mas encostado no canto do sofá ou alguma almofada, a cabeça ainda não está 100% firme).

Uma coisa que mexe comigo é que em breve (daqui uns 20 dias no máximo) o Vítor vai começar a ir na escolinha. E não queria que ele começasse a comer lá (eles só introduzem alimentos quando a mãe autoriza, porém se eu não começar agora em casa o início da fase das papinhas vai acontecer na escola mesmo).

Não quero perder esse momento com o meu filho e ficar sabendo do que ele gosta ou não através de um bilhete da professora. Queria poder curtir cada careta, cada sorriso, cada risadinha.

Agora não sei o que faço. A única decisão que tomei é que vou começar (já comecei na verdade, no dia que ele fez 4 meses) a oferecer suquinho de laranja para o Vítor. Acho que vai ser bom, pois ele está tomando mais complemento do que antes e por isso fica meio trancadinho.

Sugestões? Comentários? Luz no fim do túnel?

E aqui algumas imagens do primeiro suco de laranja do Vítor:


(pai, deixa que eu sei segurar sozinho)


(eca, que coisa azeda é essa?)


(olha que bonito que eu sou, mãe)

Rápidas super rápidas antes que o bebê chore

Gente! Novidade: vou ser estrela de um filme. O nome já foi escolhido: “História de uma mãe panda. Baseada em uma noite não dormida”.

***

Um aviso: a história não é nenhum romance, é drama. Drama puro!

***

Agora vou falar sério: tô fazendo um intensivo especial para mães de primeira viagem. A primeira aula foi icterícia (confira a matéria aqui e aqui). Depois veio gripe e refluxo. O conteúdo problema da vez é infecção no ouvido.

***

Vítor tá ruim, ruim. Tadinho, a dor no ouvido atacou mesmo. Segundo o pediatra é tudo culpa do maldito refluxo. Leitinho volta e fica em um canal atrás do ouvido. Daí dá merda inflama.

***

E a mamãe, como fica? Um CA-CO! Noite passada dormi 40 minutos. Exatamente… 40 míseros minutinhos e ainda nem foi tudo de uma vez. Foram 20 às 4 da manhã e mais 20 às 7. O resto da noite? Buá, buá, buá, nhé, nhé (e muito tapas na cara da mãe e puxões de cabelo raivosos de um babyzinho louco de tanta dor).

***

E para completar tenho outras novidades. Uma boa e uma ruim. Qual vocês querem primeiro?

***

Tá, vou começar pela boa! Eu vou ser titia! Isso mesmo, a irmã do Fábio está grávida de 6 semanas. Família feliz e muitos vivas!

***

Já dei um conselho pra ela: dorme, cunhada! Dorme porque depois o bicho pega. Com sorte tu vai conseguir dormir direito quando teu filho tiver uns 25 anos (isso se ele não tiver um filho chorando no colo e te ligar de madrugada desesperado pra perguntar o que fazer – sim, eu fiz isso ontem, liguei para mãezinha).

***

Ah, agora a novidade ruim. Descobri estrias atrás do joelho. RÁ! Isso só acontece comigo, né?! Diz que não, por favor!

Sobre o dia das mães e outras coisas mais

Delícia meu primeiro dia das mães. Passei o tempo todo grudada no pequeno. Almoçamos com minha mãe e minha avó materna. De tarde fomos na casa da minha avó paterna.

***

Eu poderia escrever vários clichês pela data. Entre eles que ser mãe mudou a minha vida, que meu filho é a coisa mais preciosa do mundo, o quanto sou apaixonada por ele. Sim, é tudo verdade. No entanto vou me limitar a usar outra frase pronta: uma imagem vale mais do que mil palavras. Pra mim essa foto diz tudo hoje.


***

Ainda sobre o dia das mães…

Eu e o Vítor participamos de uma reportagem do jornal da nossa cidade, a Folha do Mate. A matéria abordava os blogs sobre maternidade, as mamães blogueiras. Amanhã coloco aqui para vocês lerem.

***

Por falar em mamães blogueiras… parabéns para nós! Espero que todas tenham curtido o dia com seus maiores presentes: seus filhotes! (Clichês mode ON hoje!).

***

O frio já chegou no Rio Grande do Sul e o resultado foi que o Vítor ficou gripadinho. Nariz escorrendo, respiração pesada e um pouco de tosse. Liguei para o pediatra e ele receitou dois remedinhos. Comecei a dar ontem e o baby já está bem melhor. Acredito que em dois ou três dias ele esteja 100%.

***

Se tem algo que me deixa furiosa é as pessoas falarem que o Vítor dorme demais, mama pouco, que eu deveria acordá-lo para mamar e diversas outras coisas do gênero. Não tem necessidade, ok?! Segundo o pediatra ele está crescendo e se desenvolvimento bem. Além disso, do meu filho cuido eu. #prontofalei

***

Ah, quase esqueci! Hoje o Vítor completou 4 semanas de vida! Parabéns para o meu bebê! 🙂

O hospital

E daí que não escapamos de passar um dia no hospital em função da icterícia do Vítor. Achamos (eu, o Fábio e o pediatra) que a situação seria revertida com banho de luz em casa. No entanto, depois de 17 dias de vida ele continuava amarelinho e o problema já estava se prolongando demais.

Levei o pequeno para fazer o exame de bilirrubina e diante do resultado o médico decidiu internar o Vítor para fazer fototerapia.

Bilirrubina é pigmento amarelo gerado pelas células vermelhas do sangue, a pessoa fica com icterícia quando a formação de bilirrubina é maior do que o fígado consegue metabolizar. Informações do “ABC da Saúde“.

Fomos então para o hospital por volta das 7 e meia da noite. Lá pelas 9 e pouco montaram o equipamento no quarto (incubadora e sistema de luzes). Era hora de tirar a roupinha do Vítor, colocar uma venda nos olhos dele (para proteger da iluminação direta) e acomodá-lo na caminha. Aí começou o terror.

Ele simplesmente ficou desesperado, tanto quanto a mãe dele. Chorava, esperneava, mexia loucamente os braçinhos. Comecei a ficar agoniada e já não gostei daquele negócio. Vi que a noite não seria nada fácil. Eu estava enganada… seria pior do que eu imaginava.

Durante a madrugada a incubadora aqueceu demais, o equipamento foi trocado, o Vítor mamou com dificuldade, meu leite não foi suficiente (acredito que pelo nervosismo o negócio “trancou” um pouco), tentamos dar NAN, ele não aceitou, vomitou tudo, chorou e esperneou mais um pouco. E como se tudo isso não fosse o bastante ainda nos incomodamos com a equipe de enfermagem.

Exatamente! Quando a incubadora foi trocada uma enfermeira monstra colocou o meu filho lá dentro sem antes esperar aquecer. Nem vou falar da grosseria da criatura, isso renderia muitas linhas. Ele ficou inquieto e quando o Fábio tocou a mão dele viu que estava gelada. O pequeno começou a espirrar e tremer o queixo.

Já era cerca de 4 horas da manhã e nós estávamos acabados, com fome, sono, de saco cheio! Olhei para o Fábio e disse: “Chega, vamos para casa”. Peguei o Vítor, tirei a venda e o vesti. Fomos até o posto de enfermagem e falamos que queríamos ir embora.

A enfermeira que estava lá disse que teria que chamar a supervisora de plantão. A responsável foi até o quarto conversar com a gente e nos explicou os riscos de interromper o tratamento. Ela escutou nossas reclamações e prometeu que iria verificar os problemas que aconteceram com a incubadora e a situação com os profissionais que nos atenderam.

Decidimos continuar no hospital com a fototerapia. Eu fui para casa dormir um pouco, pois estava num desgaste físico e emocional sem tamanho. O Fábio ficou com o Vítor e prometeu que qualquer coisa me ligaria.

Cheguei em casa às 5 e meia da manhã e dormi até às 8 e meia. Depois voltei correndo para o hospital para amamentar. Foi a vez do Fábio ir um pouco para casa.

Eu já estava mais calma e acho que consegui passar um pouco da minha tranquilidade para o Vítor. Ele finalmente ficou quietinho na incubadora, dormiu e mamou melhor.

No fim da tarde o pediatra foi ver como o bebê estava. Felizmente ele nos liberou e voltamos para casa. Ficamos no hospital menos de 24 horas e o Vítor melhorou da icterícia.

Foi uma experiência e tanto. Maior dó ver meu filhinho sofrendo daquele jeito. Pior ainda ter que aguentar tudo pelo bem dele. Mas enfim… o que importa agora é que ele tá bem e juntinho da gente em casa, onde é o lugar dele!

Meu pintinho amarelinho

E não é que o Vítor está com icterícia, o conhecido amarelão?!

Pois é. Tudo começou um dia depois que chegamos em casa. No hospital o pediatra já tinha nos pedido para deixá-lo na luz, nada de levar em consideração aquele papo de vó de manter o bebê sempre no escurinho.

Seguimos o conselho, mas mesmo assim ele começou a ficar com o rosto amarelado. Porém, sabe como é… pais de primeira viagem acham que o filho é o ser mais perfeito, lindo e maravilhoso da face da terra e não conseguem fazer outra coisa além de babar na cria. Eu e o Fábio não tivemos a capacidade de observar que o Vítor estava com a pele diferente, foram as visitas que começaram a comentar.

Abre parênteses.

Pra chegar no ponto dos outros nos falarem é porque a pele da criança realmente estava BEM amarelinha. Quando alguém comentava falava cheio de cuidado para que a gente não levasse a mal ou ficasse ofendido com a observação.

Claro que a gente não ficou chateado com nenhum comentário, pelo contrário. Diante disso que procuramos o pediatra e descobrimos que realmente era icterícia.

Fecha parênteses.

Marcamos consulta no pediatra e começamos o tratamento. Basicamente o negócio é manter o pequeno sempre na claridade, seja natural ou próximo de uma lâmpada acesa. Além disso, estou tomando chá de raiz de salsa, segundo o médico vai ajudar para que ele melhore mais rápido.

Agora é só esperar. Segunda temos consulta de novo. Espero que ele já esteja melhor e não precise fazer banho de luz no hospital.

Alguém já passou por isso?! #comofas?

Mazelas da gravidez, parte I: lombar

Eu e o Fábio estamos fazendo um curso de gestantes da Unimed de Venâncio Aires/RS. O programa é bem interessante: 6 encontros, 1 por semana, 1 hora de duração.

Toda quarta nos reunimos com cerca de outros doze, treze casais (não é obrigatório ir o pai e a mãe do bebê, mas de modo geral as gravidinhas estão sempre acompanhadas dos respectivos) para tentar entender um pouquinho melhor todas as mudanças provocadas pela gravidez.

A cada semana um profissional da área da saúde apresenta alguns tópicos. No primeiro encontro tivemos a participação de uma psicóloga, no segundo de uma nutricionista, depois um obstetra e por último uma educadora física e uma fisioterapeuta. Nos próximos teremos um pediatra e uma técnica de enfermagem.

Pois bem, na palestra desta semana a fisioterapeuta tratou de um aspecto que está me afetando diretamente nos últimos dias: a dor na região lombar. Toda noite encho os ouvidos do Fábio de reclamações. Dói, tô ruim, tá desconfortável. Ele já sabe o discurso de cabeça.

A barriga está pesando e o ponto de equilíbrio do corpo muda. Além disso, é difícil manter uma postura adequada. As atividades diárias acabam sobrecarregando a coluna e de noite é praticamente impossível escapar da famosa dorzinha.

Para aliviar a recomendação é massagem. Já para evitar é importante observar as posições durante atividades simples como: lavar louça, lavar roupa e pegar objetos no chão. Além disso, para dormir a dica é virar para o lado esquerdo e ficar com um travesseiro no meio das pernas.

Mais informações: O site “Boa Postura” apresenta algumas orientações para as gestante. Vale a pena conferir 😉